07/04/2018

Sem chororô




A quem interessar possa, tristeza é um sentimento que passa longe de mim neste momento. Decepção, frustração então, nem pensar, em relação a Luiz Inácio Lula da Silva. 
No meu entender, o Presidente Lula cumpriu aquilo que sempre defendeu em suas campanhas até chegar à Presidência, e foi além. Se seu legado está agora sendo desmontado pelo golpe de 2016, a culpa nāo pode ser atribuída a ele. Isso é uma perversa covardia, erro grosseiro de interpretaçāo por parte daqueles que se dizem decepcionados.
O que nāo sabíamos quando Lula foi eleito era que muita gente do nosso lado acreditava em duende,  em Papai Noel, achando que um operário nordestino,  de esquerda, sem um dedo, sem canudo de papel,  iria chegar ao poder sem ficar exposto ao ódio daqueles que estruturaram este país a base de chicotadas. Esperavam o que? Que Lula  transformasse água em vinho e seguisse tranquilo até o final de seus dias? Eu iria adorar, mas ot6 último que fez isso sabemos aonde foi parar. 
Descobrimos no mensalão que o chumbo era muito grosso, que o buraco era muito mais embaixo do que se imaginava.
A guerra e a perseguição a Lula, e a todos que estão com ele, foi declarada ali. Foi declarada quando ele se elegeu, quando se reelegeu, quando se falou em regularização dos meios de comunicaçāo, quando se implementou o bem sucedido sistema de cotas, quando regularizou-se terras quilombolas, quando se descobriu o pré-sal, quando criou-se o Bolsa Família, quando obras e obras foram realizadas em todo país, quando várias universidades federais foram criadas e etc., etc. e etc.
A “fina flor”, instalada desde o império, não se satisfez em continuar só roubando ou usufruindo de privilégios por ela mesmo criados para si, enquanto a pobreza extrema e a mortalidade infantil eram reduzidas a baixíssimos níveis. Não, isso não poderia ser admitido. Não poderia ser aceita uma independência nacional, um prestígio brasileiro na diplomacia mundial, um prestígio internacional sem precedentes de um brasileiro vindo do Nordeste sem ser doutor. O país do futuro não poderia acontecer nestes termos.
Então evocou-se a moralidade e os bons costumes para arrastar para a escuridão dos negócios escusos, da corrupção, um ídolo nacional, um ícone mundial das lutas populares pela democracia. Deu certo. E se eu for falar de tristeza, será por conta de ver tanta gente boa, democratas,  embarcando nessa canoa.
Nunca tive ilusões de que haverá na América Latina um governo que não seja obrigado a lidar com banditismo, é uma questão  governabilidade e não de honestidade (Lidar nāo significa se associar, já que hoje em dia tem que ser tudo explicadinho, desenhado). E essa é uma tarefa para homens e mulheres fortes, que sabem exatamente a espessura da corda em que vão ter que se equilibrar  para poder governar. Isso é tarefa para os corajosos que colocam suas vidas em risco,  para os que não têm medo do contato com o poder, nāo é para nós que ficamos no conforto de nossos teclados dizendo isso ou aquilo sobre a classe politica ou sobre o povo que “nāo toma uma atitude”.
Estou extremamente feliz por ver Luiz Inácio Lula da Silva perseguido por aqueles que eu desprezo, por aqueles que têm “nojinho” de gente da esquerda e de comunistas, como se fossemos demônios e não pessoas que simplesmente pensam diferente sobre política, governos e relações sociais, mas que querem igualdade, liberdade e fraternidade para todos, como nos países do primeiro mundo para onde tantos “insatisfeitos” com o Brasil gostam de viajar, estudar, se divertir, mas acham que esse é um direito natural exclusivo deles e nāo de todos os seres humanos, homens, mulheres e crianças, pretos, pardos, índios, gays e brancos.
Estou extremamente feliz por ver a maioria da população querendo a volta de Lula  para Brasília. “Querer é poder”, diz a música do “Bigbrother” lá da golpista plim-plim. Vergonha alheia pelos seus repórteres sendo obrigados a transmitir entrincheirados em helicópteros, impossibilitados de cobrirem os acontecimentos históricos de perto. Estou extremamente feliz pela tranquila postura de Lula perante isso tudo, depois de toda a sua longa história política, depois dos problemas de saúde, depois da morte de Dona Marisa, depois da perseguição de Moro e agora com sua eminente prisão.
Então a tristeza de nenhuma forma está em mim, mas sim a indignação, a bronca, e a certeza de estar do lado certo.
Lula é inocente enquanto não se apresentarem provas concretas dos crimes que lhe são imputados. Assim funciona a justiça em todo planeta onde se viva sob a democracia. Fora isso é lawfare, é perseguição política, desrespeito à constituição e aos direitos humanos.
É com muita alegria que digo. Boa sorte Presidente Luiz Inácio Lula da Silva!! Pode significar pouco, mas estamos juntos.  O Sr. é eterno. Os cães ladram e sua caravana passa, mesmo sob tiros, com o Sr. Preso ou solto, mesmo porque, ideias nāo reconhecem grades. Sem chororô.